Fechar

Com 50 anos de actividade, a Trivalor, SGPS, S.A. é uma holding de capital 100% nacional que actua no segmento de Business & Facility Services, nas áreas de gestão integrada de serviços, serviços partilhados, saúde e segurança no trabalho, restauração colectiva, restauração pública e catering de eventos, vending, representações e logística, produção alimentar, produção industrial, segurança humana e electrónica, limpeza, benefícios e incentivos, manutenção e gestão de facilities, gestão documental e trabalho temporário e outsourcing.

A abrangente oferta de serviços da Trivalor tem como destinatários empresas e outras organizações públicas e privadas, a operar em diferentes sectores - desde a indústria aos serviços (banca, saúde, ensino, forças armadas e de segurança).

www.trivalor.pt

    Crise Económica!?

    Em plena crise económica, diversos têm sido os alertas de entidades de saúde para um possível aumento das carências nutricionais, que têm como consequência não só a desnutrição como o inverso, obesidade e outras patologias associadas - diabetes, hipertensão arterial e hipercolesterolemia, entre outras.

    A diminuição do poder de compra das famílias reflete-se numa mudança de hábitos de consumo, nomeadamente na alimentação. No ato de compra o preço tem sido apontado como um dos fatores mais importantes para a escolha. Desta forma, prevê-se um aumento do consumo de produtos mais baratos e de elevada densidade energética, que promovam a saciedade e que permitam alimentar toda a família. Muitos destes produtos apresentam baixa qualidade nutricional, sendo ricos em gorduras e/ou açúcares e/ou sódio. Ainda não existem dados concretos da alteração do padrão de consumo das famílias do último ano, contudo, é conhecido o aumento de venda de produtos como farinhas lácteas, não lácteas e outros flocos de cereais, que sugerem o aumento do seu consumo em substituição de refeições principais. Estes produtos não apresentam uma composição nutricional adequada a uma refeição principal nem para adultos, nem para crianças e este tipo de substituição pode condicionar o aporte de vitaminas e minerais oriundos das frutas e legumes associado a um maior aporte de açúcares.

    A Associação Portuguesa de Dietistas considera a educação alimentar um pilar fundamental para o reverso desta problemática. Existem formas de praticar uma alimentação saudável e económica e é emergente transmitir boas práticas. A APD enumera aqui alguns exemplos:

    - É muito importante saber ler rótulos nutricionais, pois produtos muito semelhantes podem apresentar composição nutricional muito diferente, sem que isso se reflita no preço;

    - Os produtos da época comprados a granel são muito mais baratos do que os embalados;

    - Os adultos não necessitam de comer diariamente carne ou peixe;

    - As leguminosas como o grão, feijão, lentilhas, ervilhas, etc., são uma boa fonte de proteína, glícidos e fibra, podendo ser alternativas em algumas refeições à carne/peixe e apresentam um preço inferior;